YOM KIPUR 2019

 

1 - Introdução

 

Após o julgamento de Rosh Hashaná, quando ficou determinado tudo o que acontecerá no novo ano, D's nos dá a oportunidade de mudar nosso julgamento, através de um dia especial, onde podemos ser perdoados de todos os nossos pecados.

            No dia de Yom Kipur, enfraquecemos nossa parte física, nosso corpo, para podermos revelar nossa alma. Neste dia, somos comparados aos anjos.

            Para sermos perdoados em Yom Kipur, devemos fazer teshuvá (retorno ao caminho correto, arrependimento), que se divide em três partes:

  • Arrependimento no coração

  • Confissão (verbalizar nosso erros somente perante D's, pedindo desculpas)

  • Abandonar o erro (decidir em nosso coração não repetir o mesmo erro)

Quanto aos pecados cometidos contra o próximo, antes de seguir estes três passos, devemos pedir desculpas diretamente à ele e, no caso de ter causado dano material, restituir o dano. 

 

 

2 - Datas e horários em 2019 no Rio de Janeiro

 

Neste ano, Yom Kipur inicia no dia 08/10 (3ª feira) e dura até o dia 09/10 (4ª feira) nos seguintes horários:

  • 08/10 (3ª feira) às 17:33h: acendimento das velas e início do jejum

  • 09/10 (4ª feira) às 18:29h: fim do jejum

Só podemos comer após a havdalá.

Antes de acender as velas de Yom Kipur, deve-se acender uma vela extra, que permanecerá acesa até o final de Yom Kipur e será usada na havdalá, conforme explicado no  item 6.

 

 

3 - Véspera de Yom Kipur

 

  • Mitzvá de comer: É uma mitzvá da Torá comer na véspera de Yom Kipur e a pessoa que come bastante é como se tivesse feito dois jejuns. É claro que esta mitzvá só é cumprida caso a comida seja kasher. É proibido jejuar neste dia

  • Kaparót: Costumamos fazer kaparot antes de Yom Kipur (durante os asseret yemei teshuvá) , que podem ser feitas com tzedaká ou com galinha. No momento da kapará, a pessoa deve ter a intenção de que se houver um mau decreto sobre ela, que o prejuízo financeiro com a galinha/tzedaká fique em seu lugar e que o que está acontecendo com a galinha, deveria estar acontecendo com ela. Assim, doamos dinheiro para a tzedaká ou doamos a galinha, após o abate kasher, para a tzedaká

  • Pedido de desculpas: Pecados entre o homem e seu semelhante, nem mesmo o Yom Kipur perdoa, até que a pessoa peça desculpas a seu próximo. Assim, é importante, antes de Rosh Hashaná e Yom Kipur, pedir desculpas a todos a quem tenhamos feito algo de errado, não esquecendo de pedir desculpas a nossos familiares, principalmente a nossos pais. Assim também, a pessoa que receber um pedido verdadeiro de desculpas, não deve ser maldoso e não perdoar – da mesma forma que perdoamos aos outros, D's também nos perdoará

  • Mikve: Costumamos ir ao mikve na véspera de Yom Kipur (homens)

  • Hatarat Nedarim: Sefaradim costuma fazer novamente a anulação das promessas antes de Yom Kipur pela manhã

  • Minchá da véspera de Yom Kipur: No final da amidá de minchá da véspera de Yom Kipur, recitamos o viduy (pedido de desculpas), conforme consta no machzor. O motivo deste costume é que, devido a grandeza do Yom Kipur, há o risco do "yetzer hará" querer prejudicar a pessoa, para impedi-la de chegar neste dia em que ela será perdoada de todos os seus pecados, fazendo com que ela engasgue na última refeição antes de Yom Kipur e não consiga pedir desculpas pelos seus atos. Assim, a pessoa pode "garantir sua teshuvá", com este viduy

  • Viduy: É a parte da reza na qual mencionamos detalhadamente todos os pecados cometidos. O viduy deve ser recitado de pé e é bom se curvar um pouco neste momento. A cada transgressão mencionada, deve-se bater com o punho no coração. Mesmo pecados pelos quais já pedimos desculpas no Yom Kipur passado, devemos voltar a pedir neste ano. Caso a pessoa não entenda em hebraico, é correto que diga em português

  • Tossefet: É uma mitzvá da Torá começar Yom Kipur alguns minutos antes do pôr-do- sol, aumentando, assim, o tempo do jejum

  • Seudá mafseket: Na última refeição antes do jejum, não se deve comer comidas pesadas, nem comidas de leite

 

 

4 – Proibições em Yom Kipur

 

  • Trabalhar: Todo trabalho que é proibido no Shabat, é proibido também em Yom Kipur

  • Comer e beber: Qualquer que seja a quantidade, é proibido pela Torá. Um alimento ou líquido que não seja propício para ser consumido (nem um cachorro comeria) é uma proibição de nossos sábios. É permitido manusear comidas e bebidas para alimentar as crianças

  • Se lavar/banhar: É proibido tomar banho em Yom Kipur. A netilat yadaim deve ser feita somente nos dedos. Caso tenha se sujado, é permitido lavar o local onde está sujo, pois a proibição só recai sobre uma lavagem de prazer. Também não se pode lavar o rosto após acordar, sendo permitido, somente, passar os dedos molhados (após netilat yadaim) nos olhos. É absolutamente proibido lavar a boca ou escovar os dentes

  • Netilat yadaim: Ao despertar de manhã, deve-se fazer netilat yadaim normalmente, porém, lavando somente os dedos. Assim também deve-se proceder após ir ao banheiro. Já os cohanim, devem lavar as mãos por completo antes de birkat cohanim

  • Cremes: É proibido passar cremes, perfume, maquiagem, desodorante e outros cosméticos no corpo

  • Sapato de couro: É proibido usar sapato de couro. Cinto de couro é permitido

  • Relações conjugais: É proibido ter relações conjugais em Yom Kipur. O casal deve se comportar de acordo com todas as leis de uma mulher que está nidá. Se o mikve da mulher cai na noite de Yom Kipur, ele deve ser adiado para a noite seguinte

  • Jóias: Devido ao temor do julgamento, as mulheres não devem usar jóias, como as usadas no Shabat e Yom Tov. Assim, há quem permita usar bijuterias simples, que são usadas nos dias da semana

 

 

5 - Obrigação/isenção do jejum

 

  • Grávidas e Lactantes: Em uma situação normal e saudável, devem jejuar normalmente. Uma parturiente nos três primeiros dias após o nascimento do bebê não deve jejuar. Até sete dias após o parto, se a mãe sente que ainda está fraca e precisa comer, podendo entrar em risco se jejuar, é permitido comer. Sete dias após o parto, ela já tem obrigação de jejuar, como qualquer outra mulher. Porém, caso haja risco de, por causa do jejum, a produção de leite ser prejudicada, representando um risco para o bebê, deve-se consultar uma autoridade rabínica

  • Doentes com risco de vida: Aquele que se encontra em risco de vida, ou que está numa situação que pode entrar em risco de vida, deve comer e beber. Porém, devemos ter cautela, ao perguntar sobre a necessidade de comer/beber em Yom Kipur, para um médico não-judeu ou não-religioso, que não entende a importância de jejuar em Yom Kipur. O ideal é se aconselhar com médicos religiosos ou com rabinos que tenham contato com médicos religiosos, para agirmos da forma correta. Caso se constate a real necessidade de comer/beber, deve-se fazê-lo em quantidades específicas, da seguinte forma:

    • Comidas: pode comer uma quantidade de até 20 gramas de 10 em 10 minutos

    • Bebidas: pode beber uma quantidade de até 40 ml de 10 em 10 minutos

    • Se estas quantidades não forem suficientes, deve-se consultar uma autoridade rabínica. Não há necessidade de esperar o tempo acima entre alimentos e bebidas

  • Doentes sem risco de vida: Caso não haja risco de vida, mas o doente está de cama ou deveria estar de cama pelo seu estado geral, é permitido tomar um comprimido, desde que este não tenha gosto ou tenha um gosto ruim. Se o doente não conseguir engolir sem líquido, é proibido tomar água, mas pode beber uma água amarga (consultar um rabino sobre a preparação exata desta água), com um gosto que não seria propício à alimentação, para ajudar a engolir o comprimido. Caso seja somente uma dor de cabeça incômoda, é proibido tomar um comprimido, até mesmo, sem água

  • Educação das crianças: Crianças pequenas não são proibidas nos itens acima, com exceção dos trabalhos proibidos e da proibição de usar sapatos de couro, que devemos ensinar a partir de 6 ou 7 anos de idade. Uma criança entre 9 e 10 anos já deve começar a ser educada em relação ao jejum na noite de Yom Kipur e espaçando o horário de suas refeições durante o dia, tudo de acordo com a força da criança. Com 11 anos, se a criança é saudável, pode tentar jejuar o dia inteiro, se conseguir. Caso contrário, deve jejuar até o meio-dia. Com 11 anos, também devem ser cumpridas todas as outras leis de Yom Kipur. Para os ashkenazim, o costume é de não jejuarem, até que façam bat/bar-mitzvá, mas é bom jejuar até o meio-dia

 

 

6 - Rezas

 

  • Rezas de Yom Kipur: Um machzor especial para Yom Kipur deve ser usado. Não se faz a berachá de “sheassa li kol tzorki” (entre os ashkenazim existem diferentes opiniões sobre isto) e costumamos falar “baruch shem kevod”, após o Shemá Israel, em voz alta. Em relação à teshuvá, destacam-se duas rezas importantes neste dia: o viduy e os 13 atributos de bondade divina, que constam no machzor

  • Havdalá: É a cerimônia que separa o dia especial, dos dias comuns. Assim, antes da havdalá, mesmo que já passou do horário do término do jejum, é proibido comer e beber. Após Yom Kipur, deve-se fazer a  havdalá num copo de vinho, mas não se faz a berachá de "bessamim" e só fazemos a brachá da vela, caso esta tenha ficado acesa desde antes de Yom Kipur. Mesmo se Yom Kipur cair no Shabat, o costume sefaradi é não fazer a berachá de "bessamim", mas, entre os ashkenazim, muitos sustentam que se deve fazer. Porém, se Yom Kipur cai no Shabat e a pessoa esqueceu de deixar a vela acesa,  pode fazer a berachá sobre uma vela nova. Neste caso, costuma-se acender uma vela e, com ela, acender outra, fazendo a berachá sobre esta segunda vela

  • Bircat Halevaná: Os homens que ainda não fizeram, poderão fazer após Yom Kipur

baitrio@gmail.com

(21) 2235-6516